quinta-feira, junho 13, 2013

OFICIAIS RECÉM APOSENTADOS REAGEM À COMISSÃO DA VERDADE







As críticas que setores militares fazem à Comissão Nacional da Verdade e à presidente Dilma Rousseff não se restringem à velha guarda, hoje na reserva e com idade entre 70 a 80 anos. Há uma outra geração de oficiais de alta patente, que há dois, três anos estavam na ativa, para quem a comissão é revanchismo de esquerda.


O incômodo desses militares ficou claro no depoimento do coronel Brilhante Ustra, semana passada, quando dois generais tomaram as dores do ex-chefe do DOI-Codi de São Paulo. O general Luiz Adolfo Sodré de Castro, que até 2011 era o Comandante Militar do Planalto, protestou contra a intervenção do torturado Gilberto Natalini, vereador em São Paulo pelo PV. E reagiu, exaltado, quando Natalini pediu para não ser chamado de terrorista.


— E vai fazer o que comigo? Vai me matar? — respondeu Sodré, gritando. Revanchismo aparece até nas novas gerações.


O general da reserva Luiz Eduardo Rocha Paiva, figura de destaque no Exército, também acompanhou a reunião da Comissão da Verdade na semana passada. Até 2007, ele era comandante da Escola de Comando do Estado Maior do Exército e foi também secretário-geral do Comando do Exército. Paiva tem 62 anos e, dessa geração, é o mais crítico à instalação da comissão.


Na véspera da sessão que ouviu Ustra, Paiva participou de uma audiência pública na Câmara, que discutiu projeto da deputada Luiza Erundina (PSB-SP) que pretende rever a Lei de Anistia e prega a punição para os militares que atuaram na ditadura. — Não houve terrorismo de Estado, mas defesa do Estado contra a ameaça de modelos que vinham de Pequim, Moscou e Havana. Deveria ser feita a reconstituição de graves violações e prestada assistência às 120 vítimas dos que estavam do outro lado. Não são cidadãos de segunda — disse o general.


Aos 56 anos, o coronel da Aeronáutica Miguel Angelo Braga Grillo, da reserva, diz que não só militares que recentemente foram para reserva têm esse entendimento de revanchismo, mas também os da ativa, que não podem se manifestar.


— O militar, de maneira geral e felizmente, tem um bom padrão de formação e está informado das coisas. Todos nós sabemos que a Comissão da Verdade é visivelmente distorcida e tem uma visão caolha, monocular. Só enxerga o que interessa. A sociedade vê a comissão como algo unilateral, mas é acomodada. Fica assistindo novela — disse o coronel Braga, que vive no Rio.


O coronel do Exército Guilherme Henrique dos Santos Hudson, de 59 anos, também critica com veemência a comissão e diz que há um sentimento revanchista.


— A comissão é composta por indicados por uma pessoa (Dilma) que deveria estar sentada no banco dos réus porque cometeu atos terroristas no passado. São sete que estão do lado que perdeu a revolução. Os derrotados — disse o coronel, que mora no Espírito Santo.


Ex-preso político e atual Coordenador do projeto Direito à Memória e à Verdade da Secretaria Especial de Direitos Humanos, da Presidência da República, Gilney Viana afirma que há esse sentimento na nova geração de militares:


— Recentemente uma turma que se formou na Aman (Academia Militar de Agulhas Negras) foi batizada de Médici (terceiro presidente da ditadura). Instrutores e os manuais militares ainda têm outra visão da História e ensinam o seu lado.


Fonte : O GLOBO




PAZ & BEM !!!




6 comentários:

FER disse...

Dozinho lindo,toda hora meu pai fica se perguntando qdo é que os militares vão voltar.
Será?
Beijinhos estalados.

serginho disse...

Os milicos deviam botar estes ladrões pra correr.

Magui disse...

Perly Cipriano, terrorista, baderneiro e boquirroto, capixaba, sanguessuga do dinheiro público encostado na sinecura do Ministério da Justiça, foi assaltante de banco, assassino de mais de uma pessoa, matou uma pessoa em assalto à fábrica de cigarros em Pernambuco.Foi condenado a 120 anos de cadeia.Ficou exilado em Moscou e não conseguiu aprender uma palavra de russo, foi anistiado, voltou para Vitória, caluniou, injuriou, difamou até à morte mais de uma pessoa, perde eleições mas está sempre em alguma sinecura. Deve receber pensão do INSS sem nunca ter trabalhado na vida e indenização pelos crimes que cometeu.Porque não é questionado nessa Comissão? Dizem que ficou preso com o Velhaco ( não sei aonde) e foi fundador do PT junto com Lula. Uma vergonha este Perly transitar livre e solto com os crimes que cometeu e sem dar satisfações a ninguém, elogiado, recebendo loas e medalhas. Eles continuam querendo por fogo no país .É a ditadura do proletariado chegando.Vc tem alguma dúvida?

Silvana disse...

Meu anjo,por mais que me doa isto,tenho que reconhecer que tínhamos uma vida bem mais tranquila naquela época.Hoje em dia,somos governados pelo capeta e sua marionete. Bjo

Lulu on the Sky disse...

Não vivi naquela época mas a impressão que eu tenho é que qdo os militares estavam no poder não havia tanta desordem.
Big Beijos

Zeca disse...

DO!

Quando nos referimos aos anos de chumbo, dizemos "não à ditadura". Aí pergunto: e agora, não é uma ditadura disfarçada essa que nos (des)governa?!
E essa comissão dita "da verdade", não deveria estar resolvendo os casos dos milhares de desaparecidos políticos? Até agora nada de novo no front... apenas o pós julgamento dos militares e ataques fora de hora...
Enquanto isso, nos palácios... os ex-terroristas se esbaldam mamando nas gordas tetas da nação e roubando descaradamente o nosso suado dinheirinho.

Abraço.

Related Posts with Thumbnails